Jornalista Andrade Junior

quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

Primeiro Prêmio da Rede de Governança Brasil

 ANDRADE JUNIOR


Em um Café da Manhã, que será realizado a partir das 7h30,  nesta quinta-feira, 10/12, na sede do Sindilegis, (SGAS 610 cj C), serão entregues os troféus dos ganhadores do Primeiro Prêmio da Rede de Governança Brasil.

Do total de 254 instituições públicas que apresentaram e obtiveram bons resultados de governança neste ano, três tiveram desempenho considerado excelente na prática de Governança. O destaque foi para a Controladoria Geral da União - CGU, seguida pela Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC e pelo Banco Central do Brasil.

Segundo Flávio Feitosa, coordenador de TI do Conselho Nacional de Justiça, a intenção do prêmio é reconhecer os gestores públicos que se dedicam a dar um direcionamento correto, um controle eficiente e definir estratégias que maximizem a utilização do bem público. Para a premiação foram criados critérios, tendo como base o Decreto 9.203/2017 de Governança Pública.

Flávio Feitosa ressaltou que, “nesta primeira premiação a rede de governança atuou e se concentrou mais na esfera federal, entretanto a partir de 2021 a intenção é expandir para os estados e municípios e, com isso, consolidar a premiação dos gestores que, de fato, pregam pelo cuidado da coisa pública por meio de governança”.

De acordo com o ministro Augusto Nardes, “o importante é incentivar, mostrar a todos que é possível trabalhar buscando a eficiência e eficácia. A governança é uma visão macro, uma série de mecanismos que são utilizados para poder entregar para a sociedade um bom resultado”.

Augusto Nardes destacou que “ o grande problema do Brasil, é que somos 212 milhões de brasileiros, quase 6 mil municípios, estados, cada um trabalhando e puxando para um lado, muitas vezes um contra o outro, sem capacidade de diálogo” Ele lembrou que “é importante termos, nas áreas chaves do governo, especialistas, pessoas que conheçam os temas e que possam tomar decisões baseadas em meritocracia”

O Ministro também informou que a Rede de Governança Brasil “com a Confederação Nacional dos Municípios, juntamente com alguns tribunais e apoio de alguns auditores do TCU, preparou, para os prefeitos, uma cartilha de governança. Perto de 6 mil cartilhas vão ser entregues antes dos governos municipais iniciarem para que eles saibam, entre outros, o que é avaliação de risco. Lembro que o grande problema do Brasil são as obras inacabadas. Um levantamento recente que fizemos apresentou 14 mil obras inacabadas, é dinheiro jogado no lixo. Tem que ter equipe de transição entre o prefeito de sai e entra, tem que existir uma equipe de avaliação, uma que faça o centro de governo com reuniões semanais. Tudo isso foi colocado na cartilha para a orientação dos prefeitos. O que é avaliação de risco, o que é planejamento estratégico, pensar a médio e longo prazo, monitorar, enfim tudo está na cartilha”.

 


0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More